TÔ INDO FAZER O CAMINHO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA. QUANDO? MÊS QUE VEM. COM QUEM? SOZINHA - O PODER TRANSFORMADOR DA CAMINHADA

March 13, 2019

 

Imagina a minha surpresa quando esse diálogo aconteceu. Fatos reais! Estávamos combinando fazer uma trilha no final de semana, quando uma grande amiga minha disse no grupo de whatsapp que não poderia porque precisaria “treinar para o caminho”.

Claro que eu não entendi NADA do que ela quis dizer com isso, e perguntei, como qualquer pessoa normal faria, “que caminho? Do que você tá falando?” Ao que ela respondeu: “eu vou fazer o caminho de Santiago de Compostela”. Eu indaguei quando: “mês que vem”, ela disse. “Com quem?” eu perguntei. “Sozinha”, ela respondeu.

 

Assim. Desse jeito. Isso mesmo. Ela resolveu DO NADA caminhar cerca de 30km por dia por mais de 1 mês, sozinha, e já estava quase partindo! Juro que por essa eu não esperava! Primeiramente porque não sabia que ela planejava viajar. Muito menos em tão pouco tempo. Menos ainda, sozinha. E para algo tão desafiador! A principio achei que ela estava louca. Que seria muito perigoso, que ela poderia se machucar, ou ser assaltada, ou abordada por algum tarado... Imagina, uma menina sozinha no meio da estrada!

 

Um mês se passou e lá foi ela... Acompanhei tudo pelo instagram desejando que desse tudo certo, e maravilhada com as fotos e as novidades que ela contava. Com o passar dos dias, fui ficando mais tranquila: nenhum osso quebrado, nenhum assalto, nenhum tarado... Ufa! Ela voltou sã e salva, mas completamente transformada. Eu diria até que quem voltou não foi ela, era outra pessoa...

 

 O que me chocou foi o que aconteceu depois da viagem! Em cerca de um mês após o seu retorno ela deu fim a um relacionamento de quase 13 anos, saiu da casa dos pais para morar sozinha, e começou a participar de vários eventos sobre espiritualidade – cursos, palestras, retiros... A conversa entre a gente mudou, aprofundou-se, e a vida dela certamente nunca mais foi – e será – a mesma.

 

É lindo ver como a experiência de caminhar sozinha, apenas com a natureza ao seu redor e só os próprios pensamentos agindo em si, longe da influência da família, colegas e amigos, pode operar um pequeno milagre na vida de alguém. O milagre da transformação. Que de pequeno não tem nada, na verdade. Muito mais que uma viagem, ela realizou uma jornada para dentro de si mesma. Percebeu que a vida que ela estava vivendo não era a dela. Voltou com a coragem de se libertar, ser ela própria, viver da maneira que desejava.

 

Uma amiga não poderia ficar mais orgulhosa. E inspirada. Ela cresceu, e eu cresci junto. Conto essa história pra todo mundo e uso como exemplo de coragem. Ela teve não só a bravura de encarar essa empreitada, como de assumir todas as decisões que tomou a partir das reflexões que fez durante ela. Quantas vezes a gente não adia decisões muito menos importantes que essas por medo? Insegurança? As importantes mesmo não preciso nem comentar... Há pessoas que passam uma vida sem tomá-las. Permanecem em relacionamentos que não trazem felicidade, dividindo a casa com companhias que não desejam, trabalhando em algo que não gostam. A vida vai passando, seguimos adiando, e quando vemos já estamos há anos vivendo uma vida que não é a que gostaríamos.

 

Sabe que conselho minha amiga te daria? Afaste-se. Vá para longe da sua casa, da sua família, do seu parceiro. Olhe apenas para dentro de si mesmo. Enxergue a sua vida de outro ângulo. Olhe para si sob outro ponto de vista. Com certeza muitas respostas virão. Muitas decisões serão tomadas. E a oportunidade de construir uma nova vida vai surgir. A oportunidade de ser você mesmo, ser mais feliz. Minha amiga certamente está. Você também pode ficar.

 

 

I'm going to the way of Saint James. When? Next month. With whom? Alone - The Transformative Power of Walking

 

Imagine my surprise when this dialogue happened. Real facts! We were talking about doing a trail at the end of the week, when a great friend of mine said in the whatsapp group she couldn´t because she had to "train for the way".

 

Of course I understood NOTHING she meant by that, and I asked, like any normal person would, "which way? What are you talking about?" To what she replied, "I'm going to do the way of Saint James". I inquired when: "Next month," she said. "With whom?", I asked. "Alone", she replied.

 

Yes, just ike this. That's it. She OUT OF THE BLUE decided to walk 30km a day for more than 1 month, alone, and she was about to leave! I swear I did not expect that! First of all because I didn´t know she was planning to travel. Let alone in such a short time. Much less, alone. And for something so challenging! At first I thought she was crazy. That would be very dangerous, she could get hurt, or be robbed, or approached by some pervert ... Imagine, a girl alone in the middle of the road!

 

A month passed and there she was... I followed everything through instagram wishing it was all right, and being marveled with the photos and news she was telling. As the days went by, I became calmer: no broken bones, no assault, no pervert ... Phew! She came back safe and sound, but completely transformed. I would say it wasn´t her who came back, it was someone else...

 

What shocked me was what happened after the trip! About a month after her return she ended a nearly 13-years relationship, left her parents' house to live alone, and began attending various events on spirituality - courses, lectures, seclusions... The conversation between us has changed, deepened, and her life was certainly no longer - and never will be - the same.

 

It´s beautiful to see how the experience of walking alone, with only the nature around you and only your own thoughts acting in you, away from the influence of family, colleagues and friends, can operate a small miracle in someone's life. The miracle of transformation. Which is no small, actually. Much more than a trip, she made a journey into herself. She realized that the life she was living wasn´t hers. She returned with the courage to be free, to be herself, to live the way she wanted.

 

A friend could not be prouder. And inspired. She grew up, and I grew up together. I tell this story to everyone and use it as an example of courage. She had not only the bravery to face this undertaking, but to assume all the decisions she made from the reflections she made during it. How often do we postpone decisions much less important than these out of fear? Insecurity? The important ones I don´t even need to comment on... There are people who spend a lifetime without making them. They stay in unhappy relationships, sharing the house with companies they don´t want, working on something they don´t like. Life is passing by, we continue delaying, and when we realize, we have been living for years a life that is not the one we wanted.

 

Do you know what advice my friend would give you? Step away. Go away from your home, your family, your partner. Look only within yourself. See your life from another angle. Look at yourself from another point of view. Surely many answers will come. Many decisions will be made. And the opportunity to build a new life will emerge. The opportunity to be yourself, to be happier. My friend certainly is. You can be as well.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Patricia Ceccato
  • Twitter Patricia Ceccato
  • Pinterest Patricia Ceccato
  • Instagram Patricia Ceccato
FOLLOW ME
SEARCH BY TAGS
FEATURED POSTS